domingo, novembro 06, 2011

À Vela



O poeta não está nestes versos.
Saiu. Foi beber o mar...
Viver e morrer outras vidas...

Eterno incompreendido,
curtido em sal e areia,
remenda e remenda a rede, e...
nem talentos nem sustento...
Não é de prata a sua sede,
nem de ouro a sua fome!

Seu barco nunca teve nome,
e minúsculas são as letras
que marcam a sua passagem
em calmaria ou tormenta.

Solitária...
é a pequena grande viagem
para dentro...
Povoada de silêncios
que, solidários, gritam...

ju rigoni (1997)

Visite também

Fundo de Mim, Dormentes, Medo de Avião.

18 comentários:

Andrea de Godoy Neto disse...

Ju, belíssimo esse poema!
essa viagem da qual os poetas não se furtam, alguns bem se perdem no fundo de si mesmos...

desejo-te prontas melhoras!

feliz com tua volta,
beijos, poeta!

Guaraciaba Perides disse...

Que bom que você voltou com seus lindos versos e sua amizade... a amizade blogueira é sutil e delicada mas cria laços fortes pois baseada em nosos sentimentos poéticos mais verdadeiros.
Um abraço

Tania regina Contreiras disse...

Saaaaaaaaaaaaaaaaudades, menina...Saudades enormes d te ler, que tu sabe que está entre as minhas leituras preferidas. Bom te ver de volta, desejo que se recupere totalmente e vai, sim, recuperar-se. De volta com esse belo poema.

Beijos, querida Ju!

vitorchuvashortstories disse...

Olá; JU; bem vinda!

E que arribe depressa, se livre dessas maleitas, para que fique bem - e para que a bonita poesia deste cantinho não se faça ausente.
Lindo poema; quem é dado a pensar sempre sente os problemas mais de perto - é como que um "preço" a pagar...

Beijinhos.
Vitor

mfc disse...

A Poetisa voltou de uma forma linda!

Que pena a ausência se ter devido a esse azar que te acointeceu.
Vai tudo normalizar.
Beijinhos

Marise Ribeiro disse...

Ju, também estou retornando e matando a saudade das suas letras. Você faz falta, menina!
Espero que se recupere rapidamente. Belíssimo poema, minha querida e com um final arrebatador!
Beijos,
Marise

Sandrio cândido. disse...

"O poeta não está nestes versos.
Saiu. Foi beber o mar...
Viver e morrer outras vidas..."

cheguei por recomendação da Tânia e gostei da forma como colocas o poeta, eterno incompreendido

abraços

difusosreflexos disse...

Amiga Ju

O poeta pode estar salgado, sedento, perdido nos gritos, mas a poetisa está viva e poetiza lindamente.

Gabo-te a coragem de estares já a publicar depois de tantas "desgraças".
Espero que a recuperação seja feita no mais breve espaço de tempo e de forma eficaz.

As melhoras e muitos beijinhos

Graça Pereira disse...

Senti saudades tuas e vim aqui muita vez espreitar a tua chegada e...chegaste agora com um molho de palavras entrelaçadas em mais um poema maravilhoso!
" O poeta não está nestes versos. Saiu. Foi beber o mar...Viver e morrer outras vidas..."
O poeta procurou a distância certa...nem longe, nem perto demais e...venceu a tempestade dos silêncios!

Beijo carinhoso e estou feliz pelo teu regresso.

Graça

Maria Emilia Xavier disse...

Como sempre o teu Poetar é arrasante, belo, reflexivo e nos faz viajar nesse barco que jamais terá letras minúsculas para o teu caminhar. Bom tê-la de volta.Bjs., amiga.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Querida amiga, lamento o que lhe
sucedeu e desejo muito um absoluto
restabelecimento o mais rápido
possível.
Um grande beijinho
Irene

Nayara Borato disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Alma de poesia. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

http://narroterapia.blogspot.com/

manuela baptista disse...

Ju!

bem que eu achei o seu inté! muito comprido

as melhoras

um beijo

manuela

Mariazita disse...

Ju, querida amiga
Tenho estado doente desde sábado. (Por sorte já tinha agendado o post para domingo… doutro modo a postagem teria falhado).
Quase não tenho posto os pés – melhor dizendo, as mãos… - no PC.
Já estou um pouco melhor, mas não completamente bem. Não está a ser fácil, mas há-de ir ao lugar… Ainda não consigo estar aqui muito tempo seguido, tenho que intervalar :)
Aos poucos, vou visitando os blogs amigos, não com a presteza que eu desejaria, mas com a que é possível.
(Desculpe o copt & paste)...

Fiquei muito feliz com a sua visita.
Já tinha tantas saudades!...
Lamento muito que a sua ausência mais alongada tenho sido motivada por falta de saúde.
Desejo, de coração, que se encontre melhor (quase restabelecida).
Adorei o poema, que considero de grande profundidade. Muito bom! Parabéns.

Bom fim de semana. Beijinhos

Tais Luso disse...

Oi, amiga, feliz retorno após esta tempestade! Que tenhas te afastado por problemas profissionais, tudo bem, muitas vezes precisamos de um tempo, mas que azar este problema nas costelas! Que fique boazinha logo.
Lindo este poema, voltou a 'marca Ju'.

Meu carinho.
Tais Luso

Sonia Pallone disse...

Você voltou e traz na bagagem esse poema lindíssimo, onde a solidão se retrata atrás de uma linda paisagem interior... Obrigada pelo carinho tão precioso no Solidão. Fique bem querida, se cuide, bom domingo.

Sonhadora disse...

Minha querida

Espero que melhore rápidamente, é muito complicado e nas costelas deve ser umas dores imensas.
Mesmo assim conseguiu deixar um poema sublime como sempre.

Deixo o meu beijinho carinhoso e desejos que se recupere logo.

Sonhadora

ju rigoni disse...

Aos queridos amigos,

Andrea, Guaraciaba, Tania, Vitor, mfc, Marise, Sandrio, Ná, Graça, Maria Emília, Irene, Manuela, Mariazita, Taís, Sonia e Rosa

muito obrigada pela visita e comentário.

Bjs e inté!