domingo, abril 24, 2011

A Fila



É
uma
fila
longa...

Dobra
esquinas,
atravessa
ruas,
enfrenta
sol,
chuva,...

luas...


Não
é
uma
fila
qualquer...

Sobe,
desce,
cresce,
afina,
engorda,
embarriga...

Fosse
instrumento
não
seria
violão...
Tampouco
uma
flauta
doce;
seria,
quem
sabe,
o
fole
de
uma
sanfona
que,
sem
fôlego,

não
toca...

Não
tem
apenas
boca,
nariz,
pele,
ouvidos...

Certo
é
que
uma
fila
tem
sempre
um
sentido
que
não
faz
sentido...

Tem
penas,
mas
não
tem
asas...

Tem
mãos,
braços,
pernas
cansadas,
pés
inchados...

E
tanta
dor
de
cabeça!...

Nunca
se
sabe
quando
ou
se
terá
fim!...

Andar,...
esta
fila
não
anda!

Chegou
agora?
Não
fure
a
fila.

para
o
fim!

O
fim
da
manhã
é
o
início
da
tarde.
O
fim
da
tarde
é
o
início
da
noite.
O
fim
da
noite
é
sempre
o
início
de
um
novo
dia.

É
pelo
fim
que
tudo
começa
e
recomeça,...
dizem...

Seria
assim
o
fim
desta
e
de
outras
filas
se
o
verbo
haver
no
sentido
de
existir
pudesse
desistir, -
abandonar
o
singular;
se
não
se
precisasse
de
muita
paciência
para
o
garimpo
de
tantas
reticências...


ju rigoni (2004)


Visite também

Dormentes, Medo de Avião, Navegando...

19 comentários:

Guaraciaba Perides disse...

Com certeza tem que valer a pena!adorei a construção do poema em "fila",visualizando a idéia que caminha e aumenta a tensão...Um abraço

Tania regina Contreiras disse...

Uma fila...Só vc para fazer poesia enfileirada e dar uma acordada na gente!
Beijos, querida, saudades de te ler eu estava.
Beijos,

mfc disse...

E é assim que os dias se fazem.
Cada dia é um poema... e oxalá fossem sempre tão lindos como este teu poema!

manuela baptista disse...

entre um princípio e um fim
e a linha imensa em tanto meio!

um beijo, Ju e obrigada por esta fila


manuela

angela disse...

Um encadeamento bonito ritmado. No fim está o começo.
beijos

Érico Cordeiro disse...

Olá, Ju,
Gostaria de convidar você para as comemorações do segundo aniversário do blog Jazz + Bossa + Baratos Outros:
www.ericocordeiro.blogspot.com
Um fraterno abraço!

Tais Luso disse...

Ju, veja bem como um poema dá muitas interpretações: lá pela metade da 'fila' quando passou da manhã pra tarde; da tarde pra noite; e da noite para um novo dia... Veio em minha mente, imediatamente, não o fim da fila, mas o fim de nossas vidas. O que nos espera no fim de nossas vidas, pois jamais soubemos ou vimos, é uma questão apenas de fé: acredite ou não acredite no que você ouve desde criança...

É isso, querida amiga, seu poema me levou para o fim dos fins!
É um poema para uma reflexão pura.

Grande beijo, JU!
Tais Luso

Graça Pereira disse...

Querida Ju
Este poema "Fila" abre um leque de muitas leituras...A fila burocrática, chata,interminável que todos os países têm...A fila do tempo, com cada dia com princípio,meio e fim...a finitude da vida num recomeço para aqueles que acreditam...
Porque o teu poema é belo, é possível olhá-lo e senti-lo de várias maneiras.
Beijo
Graça

A.S. disse...

Belo Poema!

Mas até a vida é uma interminável sequência de reticências!!!


Beijos!
AL

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Ju
Cheguei agora e entrei no fim da fila. Essa fila, suada, cansada, rimada. Adorei a fila, não gosto de filas, mas adorei a fila.
Bjux

Cristiane Moreira disse...

"O fim da noite é sempre o início de um novo dia"

O poema é lindo e essa frase dele me fez pensar no quanto tudo pode ser prático ou profundo, dependendo unicamente da alma de quem enxerga.

Mariazita disse...

Querida Ju
Venho um pouco mais tarde fazer a minha habitual visitinha porque ontem fui submetida a uma pequena cirurgia ocular, e nos três dias anteriores andei a colocar gotas no olho que me perturbavam a visão. Ontem não pude olhar para o PC, hoje vou estanto por aqui aos poucos; com mais um ou dois dias fico ok.
É uma fila maravilhosa que vc nos oferece, que nos permite várias interpretações. Ao ler vão surgindo ideias umas atrás das outras...
Gostei imenso.

Boa semana. Beijinhos

Nilson Barcelli disse...

Mas
que
grande
fila...
Mas
eu
juro
que
não
passei
à frente
de ninguém...
Muito
menos
saltei
uma linha
que fosse...
Gostei
muito.
É um poema intemporal.
Querida amiga, tem um óptimo fim de semana.
Beijos.

Ana Martins disse...

Fantástico Ju, grande inspiração!

Beijinho,
Ana Martins

nacasadorau disse...

Adorei esta fila de versos composta por palavras aladas.
Magnífico.

Existe uma só bela criança no Mundo... mas para cada uma delas existe uma Mãe.
Beijinhos especiais neste dia, que é tão nosso.

Sonia Pallone disse...

Uma longa fila de palavras, e um caminho que vai dar no coração da gente...Aplausos querida. Você é perfeita. Bjs.

ju rigoni disse...

À Guaraciaba, Tania, mfc, Manuela, Angela, Erico, Taís, Eliane, Graça, Albino, Wanderley, Cristiane, Mariazita, Nilson, Ana, Ná e Sonia...

meu muito obrigada pela visita e comentário. Bjs e inté!

Eliane F.C.Lima disse...

Blogger Eliane F.C.Lima disse...

Será essa a fila da vida, que é mesmo uma fila em que a gente entra e não sabe para quê? Vai até o fim e continua não sabendo? A fila da vida realmente não tem asas, não se pode voar dela, porém o que mais se tem são penas. Pena-se do princípio ao fim. Nessa fila que é a vida.
Eliane F.C.Lima

ju rigoni disse...

Obrigada, amiga Eliane, pela visita e comentário. Bjs e inté!