domingo, maio 01, 2011

Natureza Torta



As águas do rio correm claras,...
- tão limpinhas! -,
até o fundo se vê.
E eu,... à margem.

Quem dera o que me corrói
passasse correndo assim!...
Quem dera o rio de mim escorre
jamais embaçasse a paisagem...

A água doce do rio
não me socorre da mágoa...
Só corre...
para o sal de outras águas;
outros mares...

Outras vagas...

ju rigoni (2009)


Visite também

Dormentes, Medo de Avião, Navegando...

21 comentários:

AC disse...

Ju,
Que, pelo menos, as águas sejam transparentes...

Beijo :)

Lis disse...

Guardo um rio da minha infância
assim como da imagem, um fio dágua
gostava quando chovia pra ve-lo caudaloso
Penso que a vida é como m rio
que passa e suas águas não voltam...
Ju, sua poesia é maravilhosa
a mim ilumina nunca embaça rs
parabéns
boa semana
fique bem, abraços

Lu Nogfer disse...

Ola querida JU

Por vezes é tudo tao embassado nao é mesmo!? Tudo tao diferente das aguas transparente dos rios!
Me indentifiquei muito com suas sensiveis palavras!
Hoje em especial!

Gosto tanto daqui!

Obrigada pelo seu carinho lá em meu espaço!

Beijos,amiga!

Um otimo FDS!

nacasadorau disse...

Querida amiga Jú!

Começo a escrever como se estivesse a sussurrar... com receio de quebrar a magia deste momento de beleza ímpar.

Tomara que o rio lave todas as tuas mágoas, corra ligeiro para o mar e forme novas vagas cheias de esperança.

Lindíssimo.
Magnífico.
Parabéns.

angela disse...

Que beleza, Ju. Todas essas palavras escorrendo como um riacho em que as águas cantam quando passam pelas pedras.
beijos

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Ju
Se o rio levasse nossas mágoas, certamente o mar seria uma imensidão de tristezas.
Bjux

Guaraciaba Perides disse...

Lindo, comovente e verdadeiro!
Um abraço

Ana Lucia Franco disse...

Poema lindíssimo, Ju.

Talvez esse rio limpinho não esteja à margem, mas em nós também.

Ótima semana, amiga, bjs.

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Ju!

Tocando este teclado com a mão esquerda, já que a direita se virou contra mim, ainda assim cá estou eu de volta - a matar o bichinho da saudade ...

Mágoa também quer dizer nódoa, e quando ela se entranha na alma, mesmo com água, nem sempre é fácil de lavar...

O poema é muito lindo; bonita metáfora sobre a vida que corre, e que nem sempre corre para o mar...

Beijinhos.
Vitor

manuela baptista disse...

tomara que o rio tomara

a nossa sua natureza

um beijo, Ju!

manuela

mfc disse...

As águas tudo purificam!
Quando estou perto delas sinto-me tão bem!!

Manoel Carlos disse...

Feliz aniversário! Muitos anos de alegrias e sonhos realizados!
Manoel Carlos

Mariazita disse...

Ju, querida
Das traseiras da minha casa vislumbro o rio, que corre a menos de um quilómetro de distância.
Gosto de olhar para ele; aliás, a água atrai-me, sempre, seja em lagos, rios... mas sobretudo a do mar.
O "seu" rio acabará por arrastar suas mágoas; basta que o pedido seja feito com as lindas palavras deste poema:)
Gostei. Muito!

Boa semana. Beijinhos

Tania regina Contreiras disse...

Beleza de poema, Ju! E..ah...Feliz aniversário!! Tudo de luz no teu caminho!
Beijos,

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa disse...

Que a água doce e transparente do rio seja um lenitivo para a sua dor. E que jamais pensemos que a água que corre a partir de nós é um embaraço para a paisagem. Há tanta coisa linda a correr a partir de nós!

Graça Pereira disse...

Quem dera que o rio lavasse todas as mágoas do mundo mas...ele passa impassivo sem se lembrar que o seu leito é feito com as nossas lágrimas!
MARAVILHOSO, minha querida!
Beijo
Graça

Tais Luso disse...

Ju, querida: dizem, por aí, que a sabedoria é conseguir nadar em águas turvas. Difícil!! Confesso que não tenho esta sabedoria. Mas sei que a vida, na sua maioria, só tem rios com águas poluídas, difícil de nadar, navegar sem estarmos atentos. Deixar passar mágoas, tristezas, desavenças... é difícil. Os outros nos magoam e nós magoamos, também.
Então só ficamos nos sonhos: 'Ah... se fosse assim...' Mas a realidade é dura, também sonho com águas claras. Mas, e quem sabe lá, alguém não nada em minhas águas turvas, muitas vezes...

Grande beijo, amiga.
Tais Luso

Mariazita disse...

Querida Ju
Hoje estou passando para desejar que teu Dia das Mães, que amanhã se festeja no Brasil, seja particularmente feliz, rodeada de amor e carinho.

Beijinhos mil

Eliane F.C.Lima disse...

Ju,
Muito, muito bom. Nada mais há a dizer a não ser que a poesia, aqui, "entra pelos sete buracos da minha cabeça" (Caetano)e me preenche. E essa é a definição perfeita de poesia. Como poucas.
Eliane F.C.Lima

ju rigoni disse...

Aos amigos, AC, Lis, Lu, Ná, Angela, Wanderley, Guaraciaba, Ana, Vítor, Manuela, mfc, Manoel, Mariazita, Tania, Isabel, Graça, Taís e Eliane...

agradeço o comentário e/ou a mensagem.

Bjs e inté!

Marluce, em palavras disse...

Ju,



Tenho uma relação de amor com o rio muito forte; nasci bem pertinho de um rio, e hoje moro em outra cidade, às margens de rio! rs


Muito bonito seu poema!


Um abraço, Marluce