sábado, janeiro 29, 2011

O Despertar



Com o passar dos anos,
mais atentos, os olhos da mente
não enxergam como antes...
O que era pequeno cresce;
o que era imenso fica tão pequeno
que às vezes desaparece...

Liberto como jamais,
o pensamento não obedece
a lei da gravidade, -
elimina gorduras,
renova a musculatura...

Certos sentimentos, -
outrora bem escondidos -,
embora a temperatura ambiente,
assumem sua nudez.
Expõem, finalmente,
o corpo que têm...

Senhora de si,
a alma, livre, sem hora,
ainda mora lá dentro,
mas passeia do lado de fora.

ju rigoni (2001)


Visite também

Dormentes, Medo de Avião, Navegando...

17 comentários:

Marcantonio disse...

Talvez, eu já reconheça essa mudança das escalas, esse rejuvenescimento, que se diria improvável, do pensamento; esse desnudar-se das suscetibilidades convenientes, convencionais ou ilusórias, dessa alma que desperta parcialmente já "fora" do corpo.

Beijo.

Guaraciaba Perides disse...

È isso mesmo! Acho que uma certa distância é necessária para sabermos o que realmente foi e ainda é importante para o nosso eu interior, longe das paixões ocasionais que mais distorcem do que confirmam a realidade; como areia na batéia que necessita escoar para sobrar depois só o ouro.Um abraço fraterno

Guaraciaba Perides disse...

Fiz um comentário enorme mas ele sumiu .Então como não lembro mais as palavras( a idade faz isto com a gente) deixo registrado que penso que o tempo é um fator moderador ,como uma batéia que filtra a areia e deixa no fundo o ouro de nossas lembranças...aquilo que realmente importou e que nem sempre no calor das paixões percebemos...Um abraço

Tania regina Contreiras disse...

sentimentos assumindo sua nudez: bárbaro, Ju. Você é minha voz, às vezes muda. Vc fala e eu digo: ah, sim, era isso!
Belo, amiga! Amooooooo ler seus versos!
Beijos

Nilson Barcelli disse...

Todo o poema é excelente, mas essa da alma passear do lado de fora é magistral. Só quem é grande poeta chega a conceitos tão simples, mas belos, como esse.
Querida amiga Ju, parabéns (uma vez mais) pelo talento que revelas a cada poema.
Beijos.

Tais Luso de Carvalho disse...

'Com o passar dos anos,
mais atentos, os olhos da mente
não enxergam como antes...
O que parece pequeno cresce;
o que era imenso fica tão pequeno
que as vezes desaparece...'

Ju, como é interessante essa mutação no ser humano: quando criança, tudo tem uma dimensão diferente, grandioso demais, fora das proporções. Vamos pegando idade, outros caminhos, conquistando e acumulando mais sabedoria e chegamos num ponto em que as coisas voltam a ter mais outra dimensão, esta última pode até se dar ao luxo de libertar a alma... Já em tempo.

Beijos, amiga, meu carinho.

Graça Pereira disse...

Querida JU
Mais um poema que define a vida nos seus diversos aspectos. Tudo muda, a única solução é mantermos a memória do coração!
Mil beijos, grande poetisa!
Graça

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Ju!

Como seres inteligentes e inquietos vamos mudando, refinando a nossa visão do mundo com a idade.A nossa escala de valores muda, as aparências contam cada vez menos, e cada vez nos sentimos mais dispostos a revelar e defender a nossa verdade.

Isto, dito assim, não tem muita graça, nem muito apelo.Fica um cento de vezes melhor dito sob a forma de poesia, como a Ju aqui lindamente fez.

Gostei muito de ler.
Beijinhos.
Vitor

Eliane F.C.Lima disse...

Ainda bem que se o corpo começa a ficar limitado, uma parte de nós começa a enxergar o imponderável. Desenvolvem-se sentidos insuspeitados, que são mais capazes do que os cinco circunscritos à nossa matéria. Poetas já têm alguma intimidade com essa capacidade, velha companheira desde sempre.
Eliane F.C.Lima

palavrasdeumnovomundo disse...

Olá, fiquei feliz com sua visita comentário no meu blog e eu encantada com seus poemas. Parabéns!
Rosa

Rita Contreiras disse...

É a alma ocupando o espaço maior que lhe cabe e que só a maturidade consegue dar passagem...Bj querida.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

o pensamento às vezes nos faz reféns

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Ju
Adorei sua visita. Obrigado e quando puder volte.
Beijos

Colecionadora de Silêncios disse...

Ju, querida, que poema maravilhoso! Vc enche de vida os meus dias e de cores a minha alegria. :)

Por isso vim lhe dizer que tem um presente para vc no meu blogue, tá? É simples, mas é de coração!

Beijos :)

ju rigoni disse...

Aos amigos,

Marcantonio, Guaraciaba, Tania, Nílson, Taís, Graça, Vítor, Eliane, Rosa, Rita, Ediney, Wanderley e Patrícia...

meu muito obrigada pela visita e comentário.

Bjs e inté!

Paula: pesponteando disse...

Adorei seu texto. E em minha fase de pura reflexão, pensar a maturidade e tudo q ela nos traz, é de certa forma, um alívio! tomara q minha alma possa andar mais vezes do lado de fora...
Andei sumida e vejo q tenho muitas leituras para fazer...vou colocando em dia aos poucos...

bjs Ju

ju rigoni disse...

Paulinha, querida, que bom tê-la de volta. Obrigada pela sua visita e comentário. Bjs. Inté!