domingo, fevereiro 06, 2011

No Risco da Travessia



Vejo tantas coisas
que (dizem) não existem...
Ainda assim, vejo-as de muito perto.
E são tão substantivas,
tão concretas,
tão tangíveis...

Mas,... (dizem),
está tudo na minha cabeça;
(insistem:) não existem!

Devo procurar um oftalmologista?
Um parapsicólogo?
Um psicanalista?...

Ao me procurar
avanço todos os sinais,
e atravesso, correndo,
para um outro lado...

Estabanada,
não ouço alertas de buzinas...
E sou atropelada pelos pensamentos
no cruzamento das mesmas esquinas
em que olhando o nada
tudo vejo...

Ao fazer o caminho de volta,
o que vi vem comigo.

Tudo aquilo que está
para além do meu além,
que, insistem,
está muito aquém...

Nem existe.

Atravessam-me
porque atravesso;
porque há,
na luz,
um lado obscuro
que me delicia;
que propicia o encontro.

Bem ou mal,
juro!,
quando estou comigo
nunca estou sozinha...

ju rigoni (2005)


19 comentários:

Úrsula Avner disse...

Oi Ju,

poema de tema existencial profundo... Gosto muito da sua escrita... Amo estar comigo mesma, é muito bom em vários sentidos e contextos... Grata pelo carinho de suas palavras afetuosas e seu apoio. Bj grande.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ju
Quando estas contigo, nunca estas sozinhas, e estas sempre bem acompanhada.
Bjux

Tania regina Contreiras disse...

Ju, queridíssima poeta, são essas coisas "inexistentes" que mexem, perturbam e transformam tanto a gente que...ah, que bom que "não existem", embora tão tangíveis. Chego e me desmancho, porque (vc sabe) amo seus versos!
beijos,

Guaraciaba Perides disse...

Será o que imaginamos ou "vemos" com os olhos de dentro são menos reais do que os do mundo material?Quando o que construímos é agradável desejo que sim...mas se não,xô! sai fora desta mente que não te pertnce!Um abraço fraterno e obriga por seu trabalho lindo.

Lara Amaral disse...

Nossa, Ju, disse tudo! Muito bom, poetisa!

Beijo.

Marise Ribeiro disse...

O poeta, quando está consigo mesmo, nunca está sozinho. Ele ouve, canta, inventa e o seu mundo interior contrapõe.
Belo e profundo, Ju. Parabéns!
Bjs,
Marise

POESIAS EM FOCO disse...

Uma criação poética maravilhosa, parabéns sempre.

Nilson Barcelli disse...

Mesmo no risco da travessia, podemos ser uma boa companhia de nós próprios...
Excelente poema. De antologia... gostei imenso, querida amiga.
Beijos.

Sonia Schmorantz disse...

Não há solidão quando gostamos da nossa própria companhia! Lindo este poema!
beijo

Tais Luso de Carvalho disse...

Ju, querida, sempre tenho em mente uma frase do Artur da Távola quando disse: 'quem tem vida interior, jamais padecerá de solidão'. Pois então, muitas vezes, e pra lá de constatado, já vi que somos a nossa melhor companhia, nosso melhor amigo e, muitas vezes nosso melhor conselheiro.

Gosto de ficar muitas vezes, atravessando esquinas, cruzando com pessoas, mas voltada para dentro, com meus pensamentos sejam tortos ou direitos. Se todos cuidasse mais deste interior, se preocupando mais consigo, não sobraria tempo para tantas asneiras que se comentem por aí.
Será esta, uma situação de egoísmo ou de cautela?

Beijão, amiga.
Tais Luso

M. Sueli Gallacci disse...

Ju, querida!

O que eu posso dizer a você para expressar o tamanho da minha gratidão? As palavras me fogem. Deixo-te minhas lágrimas de emoção.

Minha filha está melhorando, aos pouquinhos. Se continuar assim poderá deixar o hospital dentro de alguns dias e continuar o tratamento em casa. A espera por um transplante continua. Ela é guerreira, vai ganhar mais essa batalha, tenho muita fé e esperança.

Obrigada por tudo. Um beijo enorme do fundo de mim!

Que Deus te abençoe grandemente!
Sueli Gallacci

Vinicius.C disse...

Olá, eu adorei o seu texto e a indificação com cada palavra é monstruosa!

Estar só é engarnar-se, não é por não ver, ou fingir saberm julgar enganado, que muda os fatos.

Não ver, não é prova de que não existe. E ver a quem, é a certeza de não estar só.

Adorei seu blog!

Nos encontramos no Alma!

Vinicus.

Nadine Granad disse...

A imagem, a cadência... lindo-lindo!...

Não há muito o que dizer... feliz por ser pensante e transpor magistralmente!...


Beijos =)

Vinicius.C disse...

Bom dia!!

Venho agradecer o carinho deixado no Alma meu blog!

Que você tenha um ótimo domingo!

Nos encontramos no Alma, ou, aqui!
Beijos!

Eliane F.C.Lima disse...

Percebi, Ju, em dois últimos poemas postados em dois blogues o tema da superação pessoal da solidão. Coincidência?
Poetas são capazes, através das palavras, de trazer companhia saudável para si.
Eliane F.C.Lima

ju rigoni disse...

À Úrsula, Wanderley, Tania, Guaraciaba, Lara, Marise, Poesias em Foco, Nílson, Sonia, Taís, Sueli, Vinícius, Nadine e Eliane...

meu muito obrigada pela visita e comentário.

Bjs e inté!

Graça Pereira disse...

Querida Ju
Eu vou repetir-me, eu sei: adoro a tua poesia que chega mesmo fundo, não só de ti própria, como de todos aqueles que te lêm. Têm uma amplitude e uma dimensão quase existencial.
Vou pedir-te que mo deixes publicar no meu blog ainda este mês no "Zambeziana Convida". Pode ser?
Mil beijos
Graça

Colecionadora de Silêncios disse...

Minha querida, sua poesia me emociona, pois vejo-me inteira refletida nela. Amei! :)

De todos os versos, destacaria esses que mais mexeram comigo:

"Ao me procurar
avanço todos os sinais,
e atravesso, correndo,
para um outro lado...

Estabanada,
não ouço alertas de buzinas...
E sou atropelada pelos pensamentos
no cruzamento das mesmas esquinas
em que olhando o nada
tudo vejo..."

Perfeito!

Beijos querida. :)

ju rigoni disse...

Às amigas Graça e Patrícia Lara agradeço a visita e as palavras.

E, Graça, você não precisa me pedir nada. Sinta-se, sempre, à vontade para levar daqui o que desejar, minha amiga. E, desde já, o meu muito obrigada!

Bjs e inté!