domingo, janeiro 09, 2011

Das Asas Possíveis...



Diante de mim,
aparentemente indefesa,
uma folha de papel
em branco.

Quem, ou o quê,
está por detrás
dessa torta paz?

Não. Ela não está morta;
olha-me,  respira,
flerta comigo,
sorri para mim.

Seu branco-neve acende
minha chama interior,
e transpiro...
frente a esse misterioso,
irresistível ser.

Assim, em toda essa alvura,
diz muito mais
do que eu jamais poderia dizer.

Caneta entre os dedos,
procuro um eu
corajoso o bastante
para tocá-la sem profaná-la;
sem subtrair-lhe a natureza de rio...

Debruço-me sobre ela,
e já não lhe resisto...
Atrevo-me...
Enquanto escrevo,
luto entre as vagas
do mar revolto dos pensamentos...
Já não me lembro do que,
de tão imóvel,
me permite algum movimento;
ignoro o leito desse rio branco
que sempre me preencheu...

Finda a estranha anestesia,
é total o desânimo...
A folha, outrora em branco,
agora, vive outro papel...
Tomada pela minha poesia
está mais vazia do que jamais!

E tudo que me resta
é chorar a alvura perdida
no cinza do meu pouco siso
com uma única certeza, -
amanhã ou depois
estarei novamente
diante desse branco que instiga, -
que me permite
(e me divide entre)
antigas e novas vidas..

Sei da minha teimosia...

ju rigoni (2002)

Aos amigos e visitantes,
desejo muita saúde e alegrias
neste novo ano.


Feliz 2011!
Visite também
Dormentes, Medo de Avião, Navegando...


13 comentários:

AC disse...

Ju,
Um regresso em grande!

Beijo :)

Colecionadora de Silêncios disse...

Minha querida, que saudade eu estava de tua linda poesia. Uma folha em branco jamais será apenas uma folha em branco estando em sua presença. :)

Que seu ano seja magnífico e que ele te traga apenas sonhos bons. Muita saúde e paz.

Um grande abraço cheio de saudades...

Graça Pereira disse...

Querida Ju
Que bom teres voltado! Acredito que a folha de papel em branco, sentiu tanto a tua falta, como eu!
É difícil resistir a um namoro desses...Há coisas que não se explicam e volta-se sempre e tu, pela porta Grande!
Um bom ano com muita poesia e felicidade.
Beijos
Graça

Eliane F.C.Lima disse...

Querida Ju,
Saúdo o renascer do ano - 2011 - e de sua linguagem metalinguística.
Felicidades para todos nós.
Eliane F.C.Lima

Guaraciaba Perides disse...

Eu não disse que as flores sempre voltam? Que bom que você voltou,com toda sua inteligência e criatividade.Um abraço fraterno e Feliz 2011.

Tania regina Contreiras disse...

Menina, saudades de te ler eu tava... E veio fecundando o espaço branco belamente.
Oba, que bom estares de volta neste 2011 que te desejo feliz!!!
beijos,

Ana Lucia Franco disse...

Ju, maravilha ler teus versos, sou fã. Maravilha de metáfora. Boa maneira de conhecermos nossas cores, ao deixarmos que naveguem no leito desse rio que é a folha.

Tudo de muito bom em 2011, Ju!

bjs.

Tais Luso de Carvalho disse...

Ju, querida, bom retorno! Deu pra ver que voltou com ótima inspiração...

beijos e saudades.
Escreverei.
tais

vitorchuvashortstories disse...

Olá, JU!

Bem vinda; Bom 2011!

Folha branca, em branco, é sempre um desafio, que a Ju enfrenta e sempre vence, sendo nós, que a lemos, quem acaba por ganhar... Dito doutra forma, a poesia é linda!

Beijinhos.
Vitor

nacasadorau disse...

Voltou e em grande!

Ainda bem que temos mais uma poetisa de mão cheia, que tão bem pinta na folha do papel as cores da vida.

beijo

Nadine Granad disse...

Aaaaaaaaaaaaaaaaaa... muitas saudades!

E que volta!!!! De tirar o folego!

... Obrigada por compartilhar e afagar!

Beijos =)

Cadinho RoCo disse...

Feliz 2011.
Cadinho RoCo

ju rigoni disse...

À AC, Patrícia Lara, Graça, Eliane, Guaraciaba, Tania, Ana Lúcia, Taís, Vítor, Ná, Nadine, Cadinho, meu muito obrigada. Bjs e inté!