domingo, outubro 17, 2010

O Impossível da Missão



Movem-se as placas...
Um tremor interior e substantivo
abala o meu chão...

Sem acentos, tantos,...
acentuam-se as faltas.
Quem explica?

Eu?... Não!
Eu sou a penas d’eus...
Do princípio ao fim,...
verbo... Verso e reverso.

Vago...
nas minhas vagas e ventos,...
murchando e embarrigando velas,
presenciando estranhos partos...

Entre fetos e feitos,
espetam-se os desafetos...
Serão estes os únicos fatos?...

E o tempo, passando,
gestando as certezas de sempre...
Abortam-se assuntos,
desenterram-se defuntos
deitados sob escombros;
lega-se aos ombros
exaustos de tanto fardo
os mesmos pesos e medidas...

Temo... os extremos
de cabos-de-guerra
que, de tão esticados,
arrebentam,
derrubando ambos os lados...

Adiantam-se os relógios
mas não se extingue
o trema do passado...

...

Este poema se auto-destruirá
em segundos...
por falta de outros temas
que justifiquem um horário
de verão...

ju rigoni


Visite também
Dormentes, Medo de Avião e Navegando...

20 comentários:

Colecionadora de Silêncios disse...

Ju, querida...

(Minha nossa!!! Como comentar vc? Me diz!) rs

Que delícia de poema... adorei!
Mas destacaria duas estrofes:

"Temo... os extremos
de cabos-de-guerra
que, de tão esticados,
arrebentam,
derrubando ambos os lados..."

E essa:

"Este poema se auto-destruirá
em segundos...
por falta de outros temas
que justifiquem
um horário de verão..."

Simplesmente GENIAL!
Beijos

AC disse...

Um olhar muito crítico sobre o que nos rodeia...
Ju, gosto desta sua faceta interventiva.

Beijo :)

Tania regina Contreiras disse...

Ju, saudades de te ler! Minha poeta querida, aqui pensando no tempo que gasta as certezas: perfeito o poema!
Beijos,

Pedro Luso de Carvalho disse...

Ju,


O teu poema "O Impossível da Missão" é muito bom. É uma obra de quem sabe escrever poesia. Nele vemos inspiração e uma apurada técnica.

Parabéns [mais uma vez].

Abraços,
Pedro.

angela disse...

Perfeito poema para esse momento insano que vivemos.
Muito bom mesmo.
beijos

Marcantonio disse...

Estou aqui com cara de bobo. Que poema! E atualíssimo! Se poetar pudesse ser ensinado,aqui estaria uma lição!

De quebra ainda me lembrei (ô tempo!) do Peter Graves(?) com seu mini-gravador que soltava fumacinha...

Beijo.

Graça Pereira disse...

" Este poema se auto-destruirá em segundos...por falta de outros temas que justifiquem um horário de Verão"
Original, com arte, actual e interessante!
Ju, quando penso que não me vou surpreender mais contigo...engano-me!
Tu és daqueles poetas que já nasceram com as palavras em verso...é mesmo genético e...não há nada a fazer! Ainda bem!
Mil beijos
Graça

Nadine Granad disse...

Ju, gosto desta sua faceta interventiva [2]

Ah, ímpar!!! Solto, sonoro, crítico...


Beijos =)

Nilson Barcelli disse...

Para além da excelência do poema, habitual no que a Ju faz, neste caso o bom humor dá um toque especial às suas palavras.
Gostei imenso, querida amiga. Parabéns por mais esta jóia poética.
Beijos.

Tais Luso disse...

Oi, querida amiga; hoje, no café da manhã eu e Pedro estávamos falando na 'Ju poeta'; tens a técnica e a criatividade dos ótimos poetas. Vir aqui sempre é um aprendizado e uma surpresa. Poesia antes de tudo é sentimento. E pelos nossos e-mails isso tens de sobra, já deu pra ver tua posição diante de certos fatos. 'Tudo casa'...

Deixo meu carinho e admiração.
Tais luso

Eliane F.C.Lima disse...

Senti, Ju, neste poema algum destroçar que me andou acometendo poeticamente também. Vejo sintonia nisso.
Eliane F.C.Lima

Lu Nogfer disse...

"Adiantam-se os relógios
mas não se extingue
o trema do passado..."
Ju,isso é muito verdadeiro mas a poesia inteira é linda!!

Beijos

MAILSON FURTADO disse...

Belo post, belo espaço!

Parabéns, muito bom mesmo!!!

Conheça o meu espaço...
http://mailsonfurtado.blogspot.com

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ju
Desculpe-me pela ausência, estava viajando, curtindo um pouquinho rsrsrs
Obrigado pelo carinho de sempre.
Bjux

Sonia Pallone disse...

Difícil comentar um poema tão bem elaborado, dentro das técnicas e métricas que ele exige. Mas, o importante, é que tudo o que você escreve, sempre toca meu coração. Bjs querida.

Poemas Tecidos disse...

Um poema para ser aplaudido. Muito grata fico por ter em meu blog a presença de alguém que escreve com muita maestria. Muito obrigada!

Um abraço.

Zélia Guardiano disse...

Maravilha, Ju!
Sua poesia é superlativa.
Grande abraço, querida

ju rigoni disse...

Aos amigos, Patrícia, AC, Tania, Pedro, Angela, Marcantonio, Graça, Nadine, Nilson, Taís, Eliane, Lu, Maílson, Wanderley, Sonia, Luciene, Zélia,...

meu carinho e meu agradecimento pela visita e comentário.

Bjs e inté!

Andrea de Godoy Neto disse...

Ju, que poema!! Original, atual, vertiginoso. Eu adorei!

beijos, poeta!

ju rigoni disse...

Obrigada, Andrea! Beijo e abraço apertado procê, poeta. Inté!