domingo, abril 25, 2010

Desaparecida...



Ponha seus olhos sobre mim
sem cuidados...
Mas se pretende conhecer-me
faça-o de olhos fechados.
Sinta-me a pele...
Não é tão macia como aparenta...
Alise-a na direção oposta
e há de saber-lhe a aspereza.

Abriu-os?
Então, tire os seus olhos de mim,
que eu não sou princesa.
Mantenha à distância
o olfato sensível, o nariz arrebitado
na pretensa nobreza...
Conheço bem os borralhos,
não cheiro a jasmim,
e, sim, a cebola, a alho.
Sou massa crescida na sova, -
mente frita, ora desidratada,
perdida num chão erodido,
ora estatelada
no asfalto quente.

Estou atenta ao calçado apertado
tanto quanto à falta de sapatos;
aos dentes de um pente fino
no cabelo embaraçado;
ao piolho, ao lixo, ao vício;
à ferida purulenta,
que não cicatriza
e cheira à carne putrefata;
ao pão feito arma;
ao colar cervical
trançado no sisal;
à destemperança
dos excessos do sal;
à pimenta de um reino
ungido pelos santos óleos...

(Invoque as forças da natureza:
ventos,

trovões,
-
tempestades -,
raios

que repartam

em partes iguais
alguma felicidade.
)

Ponha seus olhos sobre mim
e, em seguida, feche-os
para que possa ver-me,
apesar dos vermes
que insistem em corroer-me...

ju rigoni (2008)

Visite também Dormentes, Medo de Avião, Navegando...

19 comentários:

Luciana P. disse...

Puxa, Ju, o seu poema está tão real que dá até pra imaginar, visualizar a cena. A-do-rei!!!
É lindo, surpreentende, intenso, especialmente intenso.
Parabens!
Seus textos são ótimos!

Beijos!
Ótima semana!

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ju
Tenso porém bonito e forte.
Beijos

Tânia regina Contreiras disse...

Que coisa mais bela!!!! Isso é, sim, poesia e das melhores. AMEI!!!

Beijos

angela disse...

Lindo poema e que os raios repartam felicidade, pois todos nós merecemos nosso quinhão.
beijos

Lara Amaral disse...

Sempre incrível vc!

Beijo, poetisa.

Nadine Granad disse...

Ju:

Muito bom!
Adorei... imagens que não dão azia!... Soube temperar ricamente!...
... E ressaltar o sabor mais intrínseco!...

Belo!

Abraços carinhosos =)

Sonia Pallone disse...

Aqui os textos têm vida e os sentimentos fluem, à flor da pele...

Ana Lucia Franco disse...

Ju Rigoni,

Se for para olhar que seja profundamente, ainda que doa..

O que dizer de tua poesia? Reverencio..

bj

Efigênia Coutinho disse...

ju rigoni , venho agradecer suas palavras de carinho ao meu Blog, e aqui leio grandes versos seus, estou maravilhada com a sua boa poesia.
Ao momento estou fora do Brasil, em meu retorno , fins de maio, desejo lhe fazer um convite, entrarei em contato com sua pessoa,
Efigênia Coutinho
in New York

Daniel Almeida disse...

Olá boa noite Ju! venho agradecer de me ter adicionado. Muito obrigada. A sua poesia é um espectáculo, linda. Um beijo bfsemana!

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ju
Adorei o seu comentário em meu post de hoje.
BFS beijos

Eliane F.C.Lima disse...

Oi, Ju, parece uma extrema coincidência, mas o final de seu poema, principalmente, me lembrou Augusto dos Anjo - respeitadas as devidas diferenças pelo tempo em que ele viveu - sobre cuja poesia forte e especial fiz uma análise e será minha próxima postagem. Assim que entrar, vá lá conferir. Veja os motivos pelos quais posto e gosto do poeta.
Eliane F.C.Lima

A.S. disse...

Ju,

Um poema intenso, perturbador, que desperta todas as emoções, remexe a carne fétida das palavras, e os obescenos sorrisos da superficialidade!
Gosto muito da tua poética!


Beijos
AL

Inês disse...

Que belo poema sobre a verdade!
Gostei do blog!
Um abraço!

ju rigoni disse...

Luciana, Wanderley, Tania, Angela, Lara, Nadine, Sonia, Ana Lúcia, Efigênia, Daniel, Eliane, Albino, Inês, feliz com sua visita e comentário.

Bjs e inté!

silvioafonso disse...

.


Não diga obrigado, volte sempre,
adeus,
muito menos.
Dê um sorriso, jogue para trás os
cabelos que o rosto embelezam,
gire de volta o corpo e parta,
mesmo que, com passo incerto, você
parta para mim...


silvioafonso





.

ju rigoni disse...

Obrigada, Silvio, pelo poético comentário. Bjs e inté!

A ilha dentro de mim disse...

Lindo este seu poema. Amei! Do principio ao fim. Muito bom mesmo!
Saudações de Portugal,
Lídia

ju rigoni disse...

Obrigada, Lídia, pela visita e comentário.

Saudações transoceânicas. Inté!