domingo, fevereiro 05, 2012

Nós em Laços...



Melhor é olhar de longe
essa paisagem que esconde
as entrelinhas do horizonte...
Antiga, nua, sem graça...

A cada mudança de lua
batem forte em seus costados
as ondas, - algumas sem volta...
Quebram-na, salgam-lhe as rochas...
Põem a arder o seu centro,
e eis a erupção de inversos...

O vulcão que pretendiam extinto
cospe lavas incandescentes...
Desdenha em estrofes
sua própria catástrofe.

Na língua de fogo,
o gosto amargo das cinzas
de onde renasce...
para enfrentar geleiras...


ju rigoni (2005)


Visite também

Dormentes, Medo de Avião e Navegando...

28 comentários:

Toninhobira disse...

Fantastica imagem e bela a inspiração cuidadosa.
Meu abraço.

Nadine Granad disse...

Intenso, rico, uma aula!...

Enlaços de uma fênix!...

Gosto... sempre ;)

Beijos =)

Graça Pereira disse...

Um poema grandioso como a lava de um vulcão que, não deixa apenas cinza mas antes, o espectáculo das palavras lambidas pelo fogo.
Beijos
Graça

Tais Luso disse...

Olá, querida amiga! Acabo de ler uma catástrofe - por onde passa leva tudo -, narrada com beleza e elegância...
Dá um pavor, mas que é belo não há dúvidas!

Saudades, amiga.

mfc disse...

Há sempre um rejuvenescimento em potência em nós que julgávamos impossível existir... mas felizmente existe!
É essa a capacidade de nos continuarmos a maravilhar!
Beijinhos.

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Ju!

Bem tecido jogo de palavras, este poema: O vulcão que adormece mas não se extingue; mais as cinzas que escondem fogo - calor donde de novo se renasce ... tal como a Fénix.

Lindo!
Beijinho amigo.
Vitor

E eu pus fim à quarentena...

Sonhadora disse...

Minha querida

A seguir ao vendaval vem a bonança...como sempre ler-te é uma viagem intensa por dentro da alma.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Tania regina Contreiras disse...

m vulcão desdenhando em estrofes...Ju, linda, AMOOOOOOOOOOO te ler, sempre!

Beijos,

Andrea de Godoy Neto disse...

tão belo, Ju!!

ah, os vulcões... eu não creio em vulcões extintos, para mim eles estão sempre prestes a acordar...em chamas.

beijos, poeta querida!

Luma Rosa disse...

Sempre imaginei como era olhar para tal fenômeno. O olhar de longe sempre nos protege! Ensaiar situações é também exercitar virtualmente os nossos enfrentamentos.
Boa semana! Beijus,

Maria Emilia Xavier disse...

As imagens que usas para "Poetar" são tão lindas que é impossível esquecer a beleza do escrito para focar apenas no fato.

Sél disse...

Passando para um visita, Ju
Imagem linda para ilustrar um poema maravilhoso...

Aqui a poesia é farta - até na página de comentário tem um poema de brinde(lindo por sinal^^)

beijos querida, tudo de bom

Graça Pereira disse...

Passei para desejar um óptimo fim de semana.
Graça

Mariazita disse...

Ju, minha querida
As imagens dos vulcões têm em mim dois efeitos contraditórios - por um lado atraem-e (o fogo atrai...), por outro inspiram-me enorme receio.
Mas são, sem dúvida, imagens muito bonitas.
O teu poema está muito relacionado com a imagem, belo, mas muito forte em sua significação.

Tenho saudades... mas sei que só não apareces por não poder. Eu entendo, e continuarei a vir sempre que possível.

Beijinhos, tudo de bom.

Mariazita disse...

Minha querida amiga Ju
Abre bem teus braços para receber este abraço ENORME que te trago!

Desejo óptimo fim de semana.
Beijinhos

Graça Pereira disse...

Hoje, venho desejar-te uma santa e feliz Páscoa.
Está tudo bem contigo?
Beijo
Graça

Mariazita disse...

Minha querida amiga Ju
Não poderia deixar passar esta época sem vir desejar-te uma Páscoa muito feliz.
Que a passes com muita Luz, Paz e Amor é o que mais desejo.

Beijo-te com muito carinho

Luciene disse...

Um poema precioso!

Abraços.

Filipe Campos Melo disse...

Um impressivo e simbólico poema que, numa primeira leitura, me sugeriu o retrato da memória

Bjo.

Mário Bróis - Poeta disse...

- Sua poesia mexe com as estruturas dos vocábulos, transformando-os em encíclicas de versos que permeiam universos e mais universos; esplodindo em estrofes, que ultrapassam as paredes internas do planeta e volta ao cerne de tua belíssima inspiração. Mário Bróis.

Graça Pereira disse...

Vim saber de novidades...Está tudo bem contigo?
Saudades de te ler.
Beijo
Graça

Marise Ribeiro disse...

Ju, estou matando a saudade e passeando por suas letras. Espero que o seu sumiço seja apenas por falta de tempo.
Beijos,
Marise

Denise disse...

A saudade me trouxe, e encontrei esta maravilha a saudar-me...tocou fundo em mim...

Um bjo atrasado pelo dia dos avós!

Anônimo disse...

Portentoso, pujante, pungente...
<a href='http://www.agrestino.blogger.com.br">Manoel Carlos</a>

may lu disse...

"Mais me conheço,
mais me estranho...
De certo só a certeza:
ninguém conhece ninguém.
Conhecer-me?...
Que pretensão,... a minha!"
Palavras suas tão minhas! Sou esse eu desencontrado, fugaz como um sopro. Porém, mergulhada nesse imenso espaço da minha concretude...
Grande abraço!

Graça Pereira disse...

Passo para saber de ti e desejar um Feliz Natal e um 2013 com o teu REGRESSO.
Mil beijos
Graça

irene alves disse...

Venho desejar um Bom 2013.
Tudo de bom para si.
Bj
Irene Alves

vitorchuvashortstories disse...

Olá, JU!

O Natal já passou ... só me resta desejar UM FELIZ 2013, com saúde e alegria - e um destes dias vê-la por aqui...

Beijinho amigo
Vitor