domingo, janeiro 22, 2012

Cicatriz


Tiros, gritos,... e mais tiros!
Polícia versus bandidos?...
Susto versus meus versos, -
pensamentos feridos...

A casa cede ao t(r)emor,
destrancam-se portas e janelas...
Papel e caneta ainda nas mãos,
jogo-me ao chão em busca de abrigo.

Vivo intensamente o drama
de um poema morto de medo
deitado comigo embaixo da cama...

 ju rigoni (2009)



Visite também

Medo de Avião, Dormentes, Navegando...

11 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Vivo intensamente o drama
de um poema morto de medo
deitado comigo embaixo da cama...

Amiga, que versos tão fortes e suscitadores! E releio o poema, para que as marcas que eles (os seus poemas) me deixam façam-se mais firmes ainda.

Beijos e saudades de você.

mfc disse...

O medo toma-nos... e quem não é assaltado pelo medo?!

Nadine Granad disse...

2009??? dois mil e hoje!!!

E a vida, os degraus, seus poemas... Deixam-nos marcas eternas!...


Beijos =)

OBS: que desfecho!!!

Ana Martins disse...

Breve, mas muito forte este poema!

Beijinho,
Ana Martins

Eliane F.C.Lima disse...

As metáforas mudam com as circunstâncias - a pessoa urbana do século XXI não é a mesma do século XIX, por exemplo -, mas o impulso poético e seus desafios e motivações são os mesmos: a poeta urbana do século XXI é a mesma do século XIX! O poema será sempre seu melhor abrigo.
Eliane F.C.Lima

epee disse...

Da cama ao caderno. Ou ao teclado. Dos versos à poesia, a palavra. A dita. Resiste. E vive no poema.

¬

Graça Pereira disse...

Intenso e muito belo!
Quem não tem medo? Onde guardo os meus?
Não sei!
Beijocas.
Graça

Mariazita disse...

Ju, querida
Quanta beleza! Quanta força e vigor!
Este poema mexe cá dentro...

E tu, minha amiga, como estás?
Espero que muito bem.

Bom fim de semana. Beijinhos

Sonhadora disse...

Minha querida

Quanta intensidade neste belo poema, que nos arrebata e seguimos a emoção das palavras bebendo cada estrofe.
Adoro ler-te e nunca canso de dizer.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Maria Emilia Xavier disse...

Sua Poesia tão intensa quanto seu drama, nos deixa sempre em estado de reflexão... momentos em que paramos e comparamos/lembramos situações em que nos agarramos a qualquer coisa que acreditamos ou nos faça sentir seguras, Poemas?/livros?, e nos escondemos do mundo. Perfeito amiga com a marca da JU RIGONE.
Saudades!

ju rigoni disse...

Aos amigos, Tania, mfc, Nadine, Ana, Eliane, epee, Graça, Mariazita, Rosa, Maria Emília...

muito obrigada por estarem sempre por aqui, dedicando leitura a minhas letras.

Bjs e inté!