domingo, março 07, 2010

Pensamentos Lipoaspirados...



A métrica da estética
compõe com a ética eloqüente
do seu desejo?!

Diz a mídia que é assim
que você deve ser,
que é essa a aparência
que você quer ter…

Corpo sem a essência da alma.
Alma sem a decência
de um corpo singular,
feio ou bonito,
que faça por merecê-la.

Esse olhar oriental,
meio rasgado,
involuntariamente semicerrado,
Não é seu.

Esse seio empinado
que a paixão toca
e suga plena de tesão…
Não é seu.

Essa boca que ri
sem expressão, sem vontade,
sem os parênteses da idade…
Não é sua.

Essa bunda gostosa,
firme à cadência do passo,
pedindo o toque de mãos…
Não é sua.

Esse nariz arrebitado
no rosto recém-reformado,
quase clonado…
Não é seu.

Nem são seus as panturrilhas,
as ancas e as orelhas,
os tornozelos gordinhos,
mãos, coxas e sobrancelhas.
A quem pertencem… Não importa.
São belos
como pode ser bela a utopia.

No rito da beleza
o medo da morte
em vida.

No mito da beleza
necessária é a fé
na morte da saudade
de quem realmente se é.

No mito da beleza,
a certeza de que, finalmente,
seremos todos iguais
perante os deuses
e os homens.

ju rigoni (set/2000)


Visite também
Dormentes, Navegando..., Medo de Avião

11 comentários:

Úrsula Avner disse...

Oi Ju,
expressivo poema que levanta reflexões importantes sobre valores culturais tão arraigados como o culto á beleza. Bj e uma òtima semana,

Úrsula

Poétesse disse...

Deliciei-me com estes pensamentos lipoaspirados... vivemos sim num mundo onde o mito da beleza e da aparência é cada vez mais glorificado!! Infelizmente!!

Ianê Mello disse...

JU,

que é isso, mulher?
Você me fez arrepiar...sério mesmo.

MNuito bom.

Beijos e feliz dia pra mulher que você sabe ser.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ju
Realmente você tem toda razão, a preocupação e ditadura da beleza tomou conta da sociedade atual, pessoas fazem o impossível para serem o que não são.
Beijos

A Magia da Noite disse...

e a estética da essência, onde não somos mais que a energia que de nós advém...

ju rigoni disse...

Outra vez, alguns comentários desapareceram do blogue, embora eu já os tenha publicado. Mas, ao
buscar ajuda no Blogger,verifiquei que há outros blogues onde esse "fenômeno" ocorre.

Peço desculpas, aos meus amigos e, para amenizar, tudo que posso fazer é reproduzir aqui os textos dos comentários desaparecidos, tal qual estão nos e-mails enviados pelo blogger para moderação. Junto a cada um deles o linque do blogue de seus autores.

angela, do Entremeios ( http://entremeios-angela.blogspot.com):

"Um bonito poema na forma e nas idéias.
beijos"

23h36m


Cirandeira (http://giramundo-cirandeira.blogspot.com)

"Infelizmente é a mais pura verdade.
E é um círculo vicioso, porque há
uma cobrança da própria sociedade,
dos indivíduos entre si, estimulados pelos meios de comunicação.

A sociedade de consumo
não deixa barato, fabricando o mito
da "eterna juventude"! O envelhecimento é considerado uma

doença, não um processo natural que
acontece com todos os seres vivos...
Faz quase dez anos que escreveste
esse texto, e ele continua ATUALÍSSIMO! Que previsão...!
Inté"

20h44m


Graça, do Os Botões de Madrepérola
(http://botoesmadreperola.blogspot.com).

"Essa busca desenfreada pela falsificação do corpo leva a uma

profunda insatisfação da alma, muitas das vezes!!!

Que belo é poder ser realmente bela, sem lançar mão de todos

esses artifícios tão exigidos pelo "mito da beleza"!...

Grande reflexão - lindo poema.

Amei e estou te seguindo."

21h49m

Novamente, peço desculpas aos visitantes. Bjs e inté!

Tais Luso de Carvalho disse...

Ops, menina... que belo poema! Disse tudo que mulheres vazias deveriam ler.
Escrevi várias crônicas sobre esse tema e percebi como fica lindo dizê-lo em poema.
Amei.
Beijos, Ju, e meu carinho pelo dia 8 de Março.

Tais luso

Paula Laranjeira disse...

Adorei o texto...isso que chamo reflexão sobre a beleza "enformada" tão pregada pela mídia...
Seja bem vinda ao Pesponteando...bjs

Graça Pereira disse...

Poema real e actual quando a beleza da mulher aparece standarizada: os lábios carnudos começam iguais em todas as bocas...os peitos levantados bem cheiinhos a contradizer uma cintura e ancas muito delgadas...pestanas postiças, extensões nos cabelos...o que fica realmente? Em muitos casos nem sequer a alma...
Parabens pelo post.
Beijocas
Graça

A.S. disse...

JU...

Um belo poema que nos interpela sobre os conceitos de beleza que tanto influenciam a vida pessoal e social!

Excelente!!!


Beijos
AL

ju rigoni disse...

À Úrsula, Carmem, Ianê, Wanderley, A Magia da Noite, Angela, Cirandeira, Graça, Taís, Paula, Graça Pereira, A.S., meu muito obrigada pela visita e comentário.

Bjs e inté!