domingo, dezembro 06, 2009

Ponto Final



Nuvens negras
passeiam pelo céu da boca.
Tentam guardar
o que não se guarda...

E o sangue... ferve.

Pensamento é relâmpago
que anuncia o trovão
da palavra que fere.

Santa Bárbara!
Melhor cobrir os espelhos...

O vento é forte,
poderoso...
Tornado em liberdade...
Não! Não há natureza
capaz de evitar
essa tempestade.

O passado,
antes represado,
desaba...
Enxurrada de agressões, -
acusações, impropérios...

Raios os partem,
e repartem...
entre vírgulas,
exclamações,
interrogações,
irônicas reticências...

O líquido a escorrer
pelo rosto
afoga sonhos
no sal
de sabor estranho...

Por onde andará
a brisa refrescante
das doces metáforas?...


Dedos em riste,
vogais alongadas,
pronomes possessivos,
verbos no imperativo, -
armas...
mirando e atingindo o alvo.

De repente,"nunca mais"...

Alguém a arrumar as malas
e olhos que, mais uma vez,
chovem...
copiosamente.

(Não se deve chorar
as mesmas lágrimas...
- A fila anda! - diria Heráclito.)


Lá fora, ainda é manhã.
Dentro do quarto, é tarde.

Muito tarde...

ju rigoni (2002)


Visite também

Medo de Avião, Dormentes e Navegando...

13 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Lindo Ju poema forte e contundente. Parabéns.
Beijos

Lara Amaral disse...

Suas palavras ligadas numa linha de denotação e depois repetidas numa linguagem figurada deixou-me com os olhos grudados na tela, "impiscáveis".

Beijos.

Stella Tavares disse...

Divinamente escrito! Parabéns!!!
Bjs

bondearte disse...

De repente,"nunca mais"...
Alguém a arrumar as malas
e olhos que, mais uma vez,
chovem...
copiosamente.
Lindo seu poema
Boa semana

Lúcia Amorim: disse...

Um belo blog,uma viagem de alma.
abraços.

Úrsula Avner disse...

Ju, belo e intenso poema... de uma profundidade lírica envolvente. Gostei muito ! Obrigada pelo carinho em meu espaço. Bj.

Andrea disse...

OiJu
...é assim, toda perda, partida, é algo de sentimentos misturados, como esta parte do teu poema..

Raios os partem,
e repartem...
entre vírgulas,
exclamações,
interrogações,
irônicas reticências...

Lindo demais...
como tudo que leio aqui...

Bjos!

Marcelo Novaes disse...

Ju,

Quando ribomba o trovão, todo o rosário de acusações (me-ti-cu-lo-sa-men-te con-ta-bi-li-za-das) é desfiado. E santa Bárbara que segure a onda. Eparrei, Iansã.


No que diz respeito aos comentários, algumas amigas viveram a mesma situação. O meu blog "desaprendeu a contar": se houvesse quinze comentários, ele registrava "oficialmente" oito. Mas os outros sete lá permaneciam. Dizem que o contador de amigos do Orkut também padece desse semi-analfabetismo aritmético.




Beijos,








Marcelo.

Eliane F.C.Lima disse...

Cara Ju,
Recebi sua carinha simpática lá me acompanhado. Vim ver sua arte. Boa, muito boa. Vá ao meu blog de poesia - http://poemavida.blogspot.com - e o de análise literária - http://literaturaemvida2. blogpsot.com.No último, veja a análise que fiz sobre o signo "espelho", na literatura. E recebo seu texto, sobre o mesmo tema. Adicionei seus blogs a meus favoritos.
Parabéns,
Eliane F.C.Lima

Eduardo Miguel Pardo disse...

Valores de uma vida em palavras b em escritas e apresentadas como paixão pelo bem viver! parabéns e obrigado pela visita, desejo-lhe sucesso.

Primeira Pessoa disse...

Passo pra te ler e deixar um abraço nessa manhã de sábado.
tá lindo o blog.

abraços,
roberto.

Cris de Souza disse...

Salve, salve !
Divina lira...

(Agradecida e agraciada por tua visita. Desculpe-me a demora, não foi descaso-e sim, acaso)

ju rigoni disse...

A todos, meu sincero agradecimento pela leitura e comentário. Bjs e inté!