domingo, dezembro 13, 2009

Da Viagem e Seus Extravios...



Fosse adeus ou até logo,
toda partida era aborto.

E parto...
Eu, dando à luz a louca
que me delicia
e mata...

Eu, a janela,...
a porta,...
o porto...
A curiosidade
que transmuda...

Em toda partida
morri um pouco...

Afogada nos sorrisos
banhados em lágrimas,
apartei e apertei corações,
atei e desatei laços...
Toda partida me repartia
em desiguais pedaços,
houvesse, ou não,
a estação,
os beijos,
os abraços...

Partia
e me repartia
na saudade
que me consumia...
antes mesmo
do tempo de sentir
saudade.

Partia e partia-me
no repartir sacrifícios...
Sem avaliar
princípios ou fins,
dividia-me
entre o fim e o princípio...

Misturava tintas
de cores pálidas
sem qualquer talento
para combiná-las...
Transparecia...

Eu e minhas artes...

Bicho-carpinteiro,
praga,
tentando entalhar a vida...
Madeira-de-dar-em-doido...

Partia
para renascer,
preparar-me,
e partir, de novo...

E às vezes penso
que partia e parto
porque, ainda que haja dor,
partir nunca foi o último,
e, sim, o primeiro ato, -
do espetáculo que desafia.

Entre partidas
e chegadas,
desenho cenários,
ensaio,
leio e releio
o texto que não se decora.

E vou indo,...
indo,
indo,...
cultivando infinitos
no meu minifúndio,
aprendendo o mel
e o fel
deste meu hemisfério,
e assim, - quem sabe? -,
desvendando o mistério
que me habita...

Cedo ou tarde,
(tomara, bem mais tarde)
a indesejada linha de chegada...
que é partida,
e que não se reparte.

O inevitável eu
comigo...

ju rigoni (2000)

11 comentários:

Eliane F.C.Lima disse...

Ju,
estive aqui me deliciando. É impossível não voltar. Vejo que você domina com maestria a ambiguidade das palavras. Adorei o jogo de parto verbo/parto substantivo. E as palavras que vieram brotando daí: dores, aborto... É como um mágico que tira um coelho e um céu estrelado da cartola. Isso é poesia.
Tenho um poema de partida também:"Indo". Está aqui: http://poemavida.blogspot.com/2009_09_01_archive.html.
Mas a voz que conduz o texto é direta e determinada. Determinada no sentido de não fazer nenhum acordo com a esperança.
Seus blogs estão adicionados a meus favoritos.
Um grande abraço,
Eliane F.C.Lima

angela disse...

Muito folego nessas partidas todas. Tentativas de evitar e distrair=se da partida final e fatal,
Muito bem composto.
beijos

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ju
Toda partida é dolorida, sofrida e acabam levando um pouco de nós. Ficam a saudade e a lembrança como consolo.
Beijos

Lau Milesi disse...

O Ju! Tudo bem ?
Ju, vivo partindo, mas, nunca "re...partindo" os sacrifícios". Fazer o que ?
Lindo, seu poema!!
Um beijo

Lara Amaral disse...

Mesmo tendo de se dividir, partir, convertir, repartir... Vc se junta numa poesia tão linda e cheia de significados e significantes. Cada palavra sua resulta em milhares de informações. E eu me perco nessa poesia que preenche qualquer um que a lê. Até que me encontro no final dessa viagem perfeita que vc nos leva e vejo o tanto que ainda preciso caminhar para chegar a este ponto que vc se encontra.

Beijos, seus textos são incríveis!

Cris de Souza disse...

Belíssimo !

Adorei que me deparastes, assim pude desfrutar de teus cantares.
Beijo, Ju.

(Sigamo-nos)

Cris de Souza disse...

A cada parto
Uma porta
A cada porta
Uma parte
Se solta

- Mosé -

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ju, querida. Não só te leio, te sigo, como tbm te coloquei na lista de blogs que navego sempre. Sei que nçao vale nada, mas é uma pequena defeência àqueles que realmente admiro.

A falta de tempo denota que estamos vivas e cheia de vida circulante. Que bom....

Não se apoquente não, baião de dois...sei como é. E muito me alegra que vc tenha gasto esse tempo pra me escrever.

Vamos esperando e vivendo e acreditando, que pode parecer pouco, mas é matéria de amor universal.

Um grande beijo

Daniela Figueiredo disse...

Acho que cada um se identificou com algum pedaço deste poema.
"Partia
para renascer,
preparar-me,
e partir, de novo..."
Diz o ditado que, às vezes, precisamos destruir tudo para que possamos construir novamente. Partir para renascer, e começar de novo. Amei o poema!
Beijos, Ju.

PS: Final de ano fico meio sumida, mas sempre dou um jeito de aparecer de vez em quando.

Eliane F.C.Lima disse...

Querida Ju,
Deixo aqui meus votos mais sinceros de que seu Natal seja bem feliz junto de sua família - aproveite para "lamber ainda mais a cria", esse é o momento ideal. Que essa felicidade seja tão grande que transborde para 2010, envolvida pelo amor da paz (Quero lhe contar um segredo: a felicidade e a paz são amantes! Mas não há nenhum preconceito contra esse sentimento, todo mundo quer ver as duas sempre juntas).
Abração,
Eliane

ju rigoni disse...

Eliane, Angela, Wanderley, Lau, Lara, Cris, Walkyria, Dani,

muito obrigada pelos comentários.

Bjs, abraço apertado, e inté!