domingo, novembro 08, 2009

Fresta



Olhar para dentro...
Experimentar o silêncio
mais profundo, -
submergir na escuridão
que cega...
tamanha é a luz
das suas respostas...

Olhar para dentro...
Revelar-se infinito,
onipotente,
e banhado em veneno,
finalmente,
perder-se
deste pequeno mundo
pequeno...

ju rigoni (1988)


Visite também

Medo de Avião
e Dormentes.

6 comentários:

Lara Amaral disse...

Oi, Ju!

Li alguns poemas. Gostei muito! Sua sensibilidade é tocante e tocável.

Parabéns!

Beijos.

Alex Alves disse...

Linda poesia, Ju!
Muito obrigado por me prestigiar com a sua visita. E não precisava ter se preocupado em postar o comentário com correções. Não fico pegando no meu pé dos meus leitores com erros de digitação não! :) Mas quando vejo uma publicidade gritantemente mal revisada, aí não resisto! Claro que evito identificar profissionais e instituições, para não causar-lhes constrangimento. Mas que eu sou um defensor de que a língua portuguesa seja bem empregada pelos profissionais de propaganda, ah isso eu sou! :)
Um forte abraço e ótima semana!

lírica disse...

Muito Bonito!
Lírica

Eloah Borda disse...

Fresta, Algum Bálsamo, De Circo, Poética Rotina... De qual gostei mais? Sinceramente, não se, porque gostei de todos, talvez Algum Bálsamo seja mais, digamos, mais leve, e este final:

"Subitamente, levantam vôo...
Ganham altura incomum...

De lá, do alto,
podem ver o predador
no tamanho que merece..."

está incrível! Perfeito!

Bjs.
Fuiii.

Francisco Nery disse...

minha nossa... o prazer foi todo meu!
fiquei ate sem palavras.

ju rigoni disse...

Aos amigos, agradeço a visita e o comentário.

Bjs e inté!